Montenegro Celebra Maior Valorização Salarial de Sempre para Polícias

Montenegro e a esposa antes de um jantar na residência oficial de Portugal em Washington Jim Lo Scalzo – EPA

Por Smartencylopedia Staff com Agências  

Washington, D.C., EUA – O primeiro-ministro Luís Montenegro declarou na terça-feira que “nunca nenhum Governo” realizou uma valorização remuneratória das forças de segurança como o atual, celebrando o acordo alcançado com sindicatos da PSP e associações da GNR. Montenegro lamentou, no entanto, que alguns desvalorizem essa conquista.

Falando aos jornalistas antes de um jantar na residência oficial de Portugal em Washington, onde estava acompanhado pelos ministros de Estado e dos Negócios Estrangeiros, Paulo Rangel, e da Defesa Nacional, Nuno Melo, Montenegro enfatizou a importância do acordo no contexto da cimeira da NATO, que decorre até quinta-feira.

Acordo Histórico

O acordo firmado na terça-feira entre o Governo e três sindicatos da PSP, juntamente com duas associações da GNR, prevê um suplemento de risco que resultará num aumento faseado de 300 euros até 2026. Para Montenegro, este é um “dia particularmente alegre para Portugal”, apesar da tristeza pela morte da antiga procuradora-geral da República Joana Marques Vidal.

“Vamos consumar a maior valorização remuneratória de sempre das polícias portuguesas, das forças de segurança. Nunca, nunca até hoje nenhum governo – antes e depois de haver democracia – valorizou de forma tão alargada a remuneração dos profissionais que prestam serviço na GNR e na PSP”, afirmou o primeiro-ministro.

Reação às Críticas

Questionado sobre a falta de unanimidade entre os sindicatos, Montenegro expressou surpresa pela desvalorização do acordo: “Eu como cidadão e hoje a exercer as funções de primeiro-ministro acho incrível como, no dia em que o Governo assume a maior valorização remuneratória de sempre na área das forças de segurança, se queiram arranjar pretextos para desvalorizar esta circunstância”.

Reparação de Injustiças e Incentivos

O primeiro-ministro explicou que esta valorização visa corrigir uma “injustiça relativa” criada pelo anterior executivo, aproveitando a oportunidade para incentivar a entrada nos concursos da PSP e GNR. O aumento de 300 euros, com um componente fixa do suplemento de risco passando de 100 para 400 euros, será implementado em três etapas: 200 euros em 2023, e 50 euros adicionais em 2025 e 2026.

Além do aumento salarial, o acordo inclui a revisão do estatuto profissional, alterações na tabela remuneratória em 2025, revisão das tabelas dos remunerados e uma via verde na saúde.

Detalhes do Acordo

O acordo foi assinado pelo Sindicato Nacional de Oficiais de Polícia (SNOP), Associação Sindical dos Profissionais da Polícia (ASPP) e Sindicato Nacional da Carreira de Chefes (SNCC) da PSP, e pela Associação dos Profissionais da Guarda (APG) e Associação Nacional dos Oficiais da Guarda (ANOG) da GNR. Este aumento de 300 euros será pago em três vezes, com um aumento inicial de 200 euros este ano e os restantes 100 euros distribuídos em 2025 e 2026.

Com esta valorização remuneratória, o Governo de Luís Montenegro busca não apenas corrigir injustiças passadas, mas também reforçar o moral e a motivação das forças de segurança, reconhecendo o papel crucial que desempenham na sociedade portuguesa.

Comments
All comments.
Comments