Quais são os fundamentos da geopolítica?
geopolitica

Integração de elementos multidimensionais

Os fundamentos da geopolítica começam com os imperativos e restrições únicos dos estados-nação. Eles envolvem olhar para todos os atributos que afetam um país ou uma região, dissecando cada peça para entender melhor suas implicações, depois reunindo-os novamente e pintando um quadro claro o suficiente para que outros possam entender. Mais fácil dizer do que fazer, com certeza. No entanto, um bom ponto de partida é entender o que são esses elementos, como eles interagem e como afetam o país como um todo. Em ordem, esses elementos dizem respeito à geografia, política, economia, militar, tecnologia e cultura. Discutiremos brevemente cada elemento e o que ele traz para a “imagem” geopolítica geral de um país.

Geografia

A geografia afeta todos os elementos do contexto geopolítico de um país. De muitas maneiras, a geografia de um lugar o define. Ele determina quais setores económicos irão prosperar. Pode influenciar o grau de centralização do poder, bem como a suscetibilidade de um país a invasões ou a necessidade de alianças. Por exemplo, estados-nação como a Rússia podem expandir suas fronteiras para defender seu centro político. Quanto maior for esta zona tampão, mais segura a Rússia estará de invadir as forças europeias. Esse medo de invasão é uma grande parte da obsessão da Rússia com a Ucrânia. Quanto mais a Ucrânia se inclina para a Europa Ocidental em busca de alianças comerciais e políticas, mais a Rússia corre riscos.

A geografia também afeta as necessidades militares de um país. Longas áreas costeiras geralmente requerem uma marinha; o terreno dita o equipamento e o conjunto de habilidades necessárias para um exército, e a expansão geral de um país determina o tamanho/necessidade de uma força aérea. Por exemplo, os EUA, que têm territórios ao longo dos oceanos Pacífico e Atlântico, passaram grande parte de sua história se defendendo contra ameaças navais reais e potenciais. Os países que lutam para atender às suas necessidades básicas – por exemplo, se tiverem falta de recursos naturais ou não puderem produzir alimentos suficientes com a terra arável disponível – podem se ver vulneráveis ​​a poderes e influências externas. Nesta situação, então, os limites à produção de alimentos e terras cultiváveis ​​seriam uma restrição – algo que a nação não pode superar diretamente com seu próprio poder.

Política

A política é, simplesmente, a forma como um país é governado. A dinâmica política de um país afeta diretamente sua eficácia institucional, estabilidade social e estratégia de engajamento internacional. Embora nós da Geopolitical Futures não prevejamos os resultados das eleições domésticas de uma nação, as mudanças nos sistemas políticos podem ter um impacto em outras áreas da geopolítica, como militar e econômica. Em vez das decisões tomadas por um único líder, no entanto, olhamos para a política da perspectiva de imperativos versus restrições. Essa dinâmica básica forma a base de nossa estratégia analítica e tem se mostrado uma excelente característica para definir e determinar como um governo pode agir a seguir.

Economia

A economia de uma região ou estado-nação desempenha um papel importante na determinação de sua estabilidade e poder gerais. Uma economia forte é muitas vezes necessária para uma forte estabilidade militar e social, bem como uma série de outras coisas. A estabilidade econômica, a versatilidade e a disponibilidade de recursos de um país têm impacto direto em seu comportamento geopolítico. Por exemplo, países com excesso de reservas de petróleo, mas com déficit de terras aráveis, podem usar laços econômicos com outros países para garantir alimentos e suprimentos para sua população em troca de petróleo e gás natural. Intercâmbios como esse podem permitir que os países usem seus pontos fortes para contornar as restrições e atender melhor aos seus imperativos.

Militares

Os militares podem proteger as fronteiras de um país, projetar poder no exterior e se defender contra ameaças. Um exército forte pode ser um fator importante na projeção de poder geopolítico de um país e pode afetar a forma como ele interage com os países vizinhos. Os países sob ameaça direta de forças militares estrangeiras devem encontrar maneiras de garantir sua defesa e seus interesses, como por meio de alianças internacionais ou da construção de suas próprias forças armadas para equilibrar a dinâmica do poder.

Tecnologia

As capacidades tecnológicas de um país podem ser um importante fator de contribuição para o poder cultural, económico e militar. A tecnologia para uso privado, como computadores pessoais e telemóveis, bem como os principais serviços públicos, como o transporte público, contribuem para a conectividade de um país e sua capacidade de cuidar de si mesmo e de seu povo. No cenário global, um país ou região que se estabelece como um grande polo tecnológico pode acumular poder geopolítico ao controlar a propriedade intelectual, criar dependências e ser a base de redes críticas.

Cultura

A geopolítica explica e prevê como diferentes grupos de pessoas interagem e como os estados-nação em geral irão interagir uns com os outros. Nesse contexto, a cultura de um lugar pode não ser imediatamente relevante. O estado-nação, no entanto, é de muitas maneiras a base sobre a qual as comunidades humanas modernas são organizadas. As pessoas se definem em parte com base na nação e na área de onde são originárias e, muitas vezes, os valores e objetivos de um estado são influenciados pelo que consideram culturalmente importante. Do ponto de vista geopolítico, a dinâmica de uma cultura geralmente emerge das restrições e objetivos de uma nação, o que significa que as forças geopolíticas e as forças culturais podem afetar e conduzir umas às outras com o passar do tempo.

Equilibrando Objetivos e Limitações

Como os fundamentos da geopolítica influenciam a estratégia

Uma pergunta-chave que nos fazemos é: “Como as mudanças nos cenários político, econômico e social de uma região impactam o equilíbrio global de poder? Essas mudanças afetam nossa compreensão dos principais objetivos e iniciativas de um estado-nação?” A geopolítica examina como as mudanças globais no poder mudarão o comportamento dos países de forma que as ramificações sejam sentidas na economia e na política globais.

Esses fundamentos da geopolítica, juntamente com fatores externos relevantes, como o desejo de um país externo de aumentar seu poder e influência na região – e o conflito que isso pode gerar – formam a base para a análise e previsão geopolítica. Trata-se de olhar para esses fatores interconectados e avaliá-los de uma perspectiva global. É importante perceber que todos os países e regiões do mundo precisam perseguir esses imperativos constantemente. A medida do poder não se faz no vácuo, nem fica estagnada. Como tudo, com o tempo as forças geopolíticas mudam e mudam.

Avaliando flutuações no poder

Quando ocorrem flutuações ao longo da escala de potência, existem algumas maneiras de avaliá-las. O primeiro passo é sempre identificar a fonte do poder e a direção da mudança. Algumas mudanças são devidas a fatores domésticos dentro de um país ou região. Mudanças no regime, avanços ou declínios económicos, ou mesmo levantamentos sociais podem alterar o poder relativo de uma nação do ponto de vista geopolítico. Outros fatores podem vir de fora, como forças econmicas externas, conflitos militares e até grandes eventos migratórios.

Análise geopolítica coesa

Coleta de Informações Dinâmicas

Uma etapa integrante do nosso processo de previsão é coletar informações de fontes de notícias dinâmicas, geralmente em idioma nativo e específicas da região. Isso é importante para o nosso processo por alguns motivos.

Em primeiro lugar, permite-nos obter perspectivas locais sobre informações que podem passar despercebidas por outras organizações de mídia. A maioria das fontes de notícias se concentra em histórias e eventos individuais, mas não explica por que eles acontecem e se impactam uma esfera maior. As notícias se concentram em “quem, o quê, onde e quando”, enquanto a geopolítica se concentra em “por que e o que vem depois?” O que precisa ser entendido são as tendências globais e geopolíticas. As perspectivas locais nos permitem obter uma compreensão mais completa da situação em questão e identificar áreas potenciais que podem se transformar em tendências maiores posteriormente.

Em segundo lugar, podemos identificar potenciais pontos de conflito e áreas de instabilidade antes que eles aconteçam. A maior parte do nosso trabalho envolve prever eventos potenciais com base no estudo da história de um país ou região e observar os padrões das necessidades, restrições e potencial de conflito de um país em sua busca. A previsão é construída com base na compreensão da circunstância atual e das maneiras pelas quais ela pode se desenvolver e mudar no futuro. Por exemplo, George Friedman usou esse raciocínio para prever o conflito Ucrânia-Rússia anos antes de acontecer. A capacidade de prever veio de um profundo conhecimento da história da região e de ver como os padrões se desenrolavam entre os estados-nação.

Finalmente, ajuda-nos a compreender os motores subjacentes da mudança geopolítica. Combinadas, essas informações nos permitem fornecer uma imagem mais abrangente do cenário geopolítico. Cada região é única e, embora haja uma pequena lista de fatores que afetam e definem a esfera geopolítica, há uma infinidade de maneiras pelas quais esses elementos podem se combinar. É por isso que é importante para nós obter informações de diversas fontes, muitas vezes em idiomas estrangeiros, que oferecem perspectivas e percepções únicas.

Fazendo previsões informadas

Uma vez identificada a fonte da mudança e coletada a informação adequada, o próximo passo é determinar as flutuações no poder relativo e o potencial de conflito. É aqui que entra a análise geopolítica. Analistas geopolíticos fazem previsões informadas sobre o futuro das relações internacionais examinando tendências e padrões passados. Passamos anos compreendendo as forças que afetam uma região específica de especialização, bem como as forças globais. Nosso profundo conhecimento combinado com diversas fontes de informação nos ajudam a formular insights, análises e previsões precisas, substanciais e significativas. Este processo não é uma ciência exata.

Fonte: Geopolitical Futures

Comments
All comments.
Comments